Mecanização da colheita do café conilon no Espírito Santo

Resumo: Comparativamente a outras culturas, a colheita do café conilon é mais difícil de ser executada, em razão do formato da planta, desuniformidade de maturação e do elevado teor de água dos frutos, o que prejudica a mecanização das operações. Dessa forma, o processo de colheita é a etapas final de um processo produtivo, e as perdas devem ser mantidas dentro de padrões aceitáveis. O objetivo do presente trabalho foi avaliar a eficiência da colheita semimecanizada do café por meio do controle estatístico de processo (CEP). O estudo será realizado no município de Pinheiros-ES, onde foram amostrados 30 pontos de recolhimento de um mesmo talhão, selecionados sequencialmente ao inicio da colheita. Em cada ponto serão avaliadas as variáveis eficiência de recolhimento, perdas no sistema de recolhimento, impurezas do sistema de separação e transporte. Espera-se que, com base nos dados obtidos seja possível concluir que a utilização das cartas de controle são parâmetros eficientes na identificação dos pontos fora de controle e na avaliação da qualidade do processo de colheita semimecanizada

Data de início: 2017-08-01
Prazo (meses): 36

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Colaborador Fábio Luiz Partelli
Colaborador Edilson Romais Schmildt
Coordenador Edney Leandro da Vitória
Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Rodovia BR 101 Norte, Km 60 - Bairro Litorâneo, São Mateus - ES | CEP 29932-900